O que dizer sobre…’Três Anúncios para um Crime’?

Por Matheus Pichonelli

Provavelmente nenhum dos filmes indicados ao Oscar 2018 conseguiu capturar tão bem o que tem sido a Era Trump nos EUA como Três Anúncios para um Crime, de Martin McDonagh. Com humor ácido, o filme investiga as corrosões das bases de confiança da sociedade americana.

Para isso, acompanha o dilema de uma mãe (Frances McDormand) que perdeu a filha assassinada e resolve desafiar as autoridades locais para obter justiça. Na luta entre opressores e oprimidos, todas os estereótipos se confirmam até a segunda página; dentro de casa, cada um cada um guarda mais que um segredo: guardam sofrimentos e dignidades invisíveis no meio de tantas feridas abertas.

Naquela terra de sofrimentos não-reconhecidos, a barbárie se assenta à medida que a comunicação se fragmenta em tuítes curtos, como as mensagens postadas em três outdoors em desafio ao xerife à beira da morte (falei mais sobre o filme neste vídeo).

A ansiedade e a incapacidade de analisar fatos objetivos para além da opinião pré-moldada e dos apelos à emoção e crenças pessoais levam aqueles personagens a tomar decisões precipitadas, como as declarações de guerra particulares de cada dia. Aquela localidade é uma bomba-relógio. É também a vida em rede recriada como uma alegoria de um faroeste contemporâneo.

Três Anúncios para um Crime

7 Indicações ao Oscar

Melhor Filme
Melhor Atriz
Melhor Roteiro Original
Melhor Ator Coadjuvante*
Melhor Edição
Melhor Trilha Sonora

(Dois atores disputam o prêmio, Woody Harrelson e Sam Rockwell)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *