Vídeo inédito mostra Matheus Nachtergaele em cena do filme ‘Zama’, de Lucrecia Martel

Com distribuição da Vitrine Filmes e coprodução de Vania Catani, da Bananeira Filmes, “ZAMA”, de Lucrecia Martel, retrata a trajetória de Zama (Daniel Giménez Cacho), um oficial da Coroa Espanhola nascido na América do Sul que aguarda uma carta do Rei autorizando-o a se transferir da cidade em que vive estagnado para um lugar melhor.

Para garantir a transferência, Zama se ver forçado a aceitar todas as ordens e tarefas que são passadas por consecutivos governantes ao longo dos anos. Quando percebe que a tal carta não vai chegar, ele decide se unir a um grupo de soldados em busca de um perigoso bandido.  Em cena inédita, o grupo encontra um corpo que suspeitam ser de um índio. O filme estreia dia 29 de março nos cinemas.

– O passado no nosso continente é borrão confuso. Nós o fizemos assim para não termos que pensar na propriedade da terra, o espólio sobre o qual o abismo da América Latina foi fundado, embaraçando a gênese da nossa própria identidade. Assim que começamos a olhar para o passado, sentimos vergonha. ZAMA mergulha fundo no tempo da vida dos homens mortais, esta breve existência que nos foi concedida, ao longo da qual nós deslizamos ansiosos para o amor, esmagando exatamente aquilo que poderia ser amado, adiando o significado da vida como se o dia mais importante fosse um que ainda não chegou, ao invés de ser hoje. E, mesmo assim, o próprio mundo que parece decidido a nos destruir, torna-se a nossa própria salvação: quando perguntados se queremos viver mais, sempre respondemos sim – explica a diretora.

Lucrecia Martel é um dos maiores nomes do cinema contemporâneo, seus filmes anteriores, A Mulher sem Cabeça e A Menina Santa, tiveram estreia mundial no Festival de Cannes, e O Pântano, no Festival de Berlim. ZAMA teve estreia mundial no Festival de Veneza, foi indicado ao Goya, ganhou prêmio da crítica no Festival de Roterdã 2018  e, recentemente,  foi indicado ao Prêmio Sur 2017, uma das principais premiações argentinas, em 11 categorias, entre elas, melhor filme, melhor diretor, melhor ator e melhor direção de arte – com a brasileira Renata Pinheiro. Coproduzido com o Brasil, o filme já passou pelos Festival do Rio 2017, 41ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e X Janela Internacional de Cinema, no Recife.

 

(Via Sinny Assessoria e Comunicação)

SINOPSE 

​Zama, um oficial da Coroa Espanhola nascido na América do Sul, aguarda uma carta do Rei que deverá autorizá-lo a se transferir da cidade em que vive estagnado para um lugar melhor. Sua situação é delicada: ele deve se certificar de que nada ofusque sua realocação e se vê forçado a aceitar submissamente todas as tarefas que lhe são confiadas por consecutivos governadores que vêm e vão enquanto, ele fica para trás. Os anos passam e a carta do Rei nunca chega. Quando Zama percebe que tudo está perdido, se junta a um grupo de soldados que saem a perseguir um perigoso bandido.

SOBRE A DIRETORA

Nascida na Argentina, a cineasta Lucrecia Martel tem colocado seu trabalho na comunidade internacional do cinema. ZAMA (2017) é seu quarto filme após escrever e dirigir A MULHER SEM CABEÇA (La Mujer Sin Cabeza, 2008), A MENINA SANTA (La Niña Santa, 2004) e O PÂNTANO (La Ciénaga, 2001). Os filmes da diretora têm sido aclamados nos mais importantes festivais de cinema: Cannes, Berlim, Veneza, Toronto, New York, Sundance e Rotterdam, entre outros. Uma retrospectiva do seu trabalho tem sido amplamente exibida em festivais de cinema e instituições renomadas como as universidades de Harvard e Berkeley ou no London Tate Museum. Ela tem formado parte em júris oficiais de Berlim, Cannes, Veneza, Sundance e Rotterdam, e já ministrou aulas ao redor do mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *